07/11/2018

Novembro Azul: a cada 100 mil goianos, 73 são diagnosticados com câncer de próstata

Só para 2018, são estimados pelo INCA o aparecimento de 68.220

Só para 2018, são estimados pelo INCA o aparecimento de 68.220 novos casos no país.

Goiás, a cada 100 mil homens, 73 são diagnosticados com câncer de próstata, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA). A doença, no país, é a segunda mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma (tumores mais comuns, que ocorrem principalmente em pessoas de pele clara após exposição solar por longo tempo), além de ser a segunda causa de morte por câncer na população masculina. A primeira é o câncer de pulmão.
O câncer de próstata é considerado uma doença da terceira idade, uma vez que 75% dos casos no mundo ocorrem em homens de 65 anos ou mais. Em alguns dos casos, o tumor pode crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. Mas a grande maioria cresce de forma tão lenta, cerca de 15 anos para atingir 1 cm³, que não chega a dar sinais durante a vida.
E é ai que mora o perigo! Como os sintomas não são sentidos, o homem pensa que a saúde está em dias, mas é preciso ir ao médico e fazer os exames necessários, pois assim como outros tipos de câncer, o diagnóstico precoce pode evitar a morte.

Novembro Azul
A campanha Novembro Azul, que ocorre todos os anos no 11º mês, tem como objetivo informar e incentivar a prevenção do câncer de próstata, além de outras doenças que acometem os homens. Só para 2018, são estimados pelo INCA o aparecimento de 68.220 novos casos no Brasil.
Especialistas destacam que a prevenção precisa ser iniciada entre 45 e 50 anos por meio dos exames anuais de dosagem do PSA (antígeno prostático específico). De acordo com o INCA, a idade é um fator de risco importante para o câncer de próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumentam significativamente depois dos 50 anos.
Outra condição que deve ser observada, é que, para homens cujo pai ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos, o risco pode ser de 3 a 10 vezes maior comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores hereditários quanto hábitos alimentares ou estilo de vida.

Prevenção
Um das formas de prevenir a doença é manter uma alimentação balanceada. O INCA informa que já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, assim como de outras doenças crônicas não-transmissíveis.
São recomendados ainda outros hábitos saudáveis, como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.




  • Legislacao1-207x114
  • Licitacao2-207x115