08/08/2019

Nota de repúdio à intenção de limitar a oferta de Pics no SUS

É com consternação e revolta que recebemos a reportagem veiculada

É com consternação e revolta que recebemos a reportagem veiculada pela rádio CBN, no dia 29 de julho de 2019, que trata da informação que o Ministério da Saúde vai revisar a oferta de práticas integrativas no SUS em função de solicitações de organizações médicas como o Conselho Federal de Medicina, Associações Médicas e outros interessados no extermínio das Práticas Integrativas, as Pics.

Um panorama sem fundamento e tendencioso com domínio e imperialismo da categoria médica que não reconhece o notório saber de outros profissionais de saúde na área de práticas integrativas. Mas, esse grupo supostamente conhecido como “defensor da ciência” não representa toda a categoria, há diversas exceções. Na verdade, são defensores de seus bolsos cheios de dinheiro manchado pela dor de pessoas impedidas da oportunidade de SOMAR a seus tratamentos as Pics.

Hoje, a ciência avança em todos os sentidos e inclusive nas práticas integrativas. Se forem acessadas as principais plataformas de pesquisa científica, são infinitas as pesquisas nessa temática e com todo o respeito, com muita qualidade.

Convidamos a todos os profissionais de saúde envolvidos com as Pics manterem-se firmes em seus objetivos e propósitos e se unirem da melhor forma possível para que possamos mais uma vez seguirmos o chamado do universo da harmonia e equilíbrio da mente e do corpo das pessoas que nos procuram cheios de esperança de um dia melhor.


Fonte: Associação Brasileira de Enfermeiros Acupunturistas e Enfermeiros de Práticas Integrativas (Abenah)



  • Licitacao2-207x115